ESPORTE

 

Vitória vai entrar com recurso contra resultado do Ba-Vi

Partida foi encerrada aos 35 minutos do segundo tempo e o Bahia foi declarado vencedor (Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

O Vitória decidiu entrar nesta terça-feira (20) com um recurso no Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol da Bahia (TJD-BA) questionando a decisão da FBF de declarar o Bahia vencedor do clássico de domingo e o placar de 3×0. 

Segundo apurado pelo CORREIO, o Leão entende que não houve clareza entre os episódios da partida e as regras adotadas para que o Bahia fosse declarado vencedor do Ba-Vi encerrado precocemente no último domingo (18).

Na visão do clube, o único órgão capaz de determinar o placar final e a perda ou ganho de pontos para cada clube é o TJD-BA. Sendo assim, espera que o resultado seja declarado 1×1 até futuro julgamento.

O rubro-negro, assim, espera ganhar tempo a fim de se defender no tribunal. “Vamos questionar essa decisão. Obviamente, o Vitória vai buscar se defender no tribunal”, disse o presidente Ricardo David à Rádio Transamérica”

FBF DIVULGA SÚMULA E OFICIALIZA TRIUNFO DO BAHIA POR 3×0 NO BA-VI

A Federação Bahiana de Futebol (FBF) anunciou o placar do Ba-Vi com triunfo do Bahia por 3×0 sobre o Vitóriano clássico realizado no domingo (18), no Barradão. A decisão é amparada no artigo 56 do Regulamento Geral de Competições da CBF, que diz em seu inciso 4º: “O resultado da partida será mantido, na aplicação do § 3º, se, no momento do seu encerramento, a equipe adversária estiver vencendo a partida por um placar igual ou superior a três (3) gols de diferença; e se tal não ocorrer, o resultado considerado será de três a zero (3×0) para a equipe adversária”.

O que diz o inciso 3º é que “após o início da partida, se uma das equipes ficar reduzida a menos de sete (7) atletas, dando causa a essa situação, tal equipe perderá os pontos em disputa”. Foi exatamente o que aconteceu no Ba-Vi, quando o Vitória teve seu quinto jogador expulso, o zagueiro Bruno, aos 35 minutos do segundo tempo, em um duelo marcado pela violência: ao todo, foram nove expulsões.

Com isso, o Bahia sobe para 2º lugar no Campeonato Baiano, com 11 pontos, e o Vitória fica em 3º, com 10 e uma partida a menos. A Juazeirense lidera, com 16 pontos, e o Fluminense de Feira fecha o G4, também com 10 e uma partida a menos.

Junto com o resultado do jogo, a FBF publicou também a súmula da partida, na qual o árbitro Jailson Macêdo Freitas relata os acontecimentos ocorridos no campo.

São duas páginas de relatório – ao contrário das poucas linhas habituais – nas quais Jailson narra tanto a expulsão do zagueiro Bruno, que causou o encerramento precoce da partida, quanto a briga generalizada que houve após o gol de empate do Bahia em 1×1.

Sobre o lance que deu fim ao clássico, Jailson Freitas afirma: “Expulsei aos 35 minutos do segundo tempo o Sr. Bruno Bispo dos Anjos, nº 37, do E.C. Vitória, em virtude do segundo cartão amarelo, por retardar o reinício de jogo de forma acintosa e ainda chutando a bola do local da cobrança (…) A partida foi encerrada aos 35 minutos do segundo tempo de jogo, devido à equipe do E.C. Vitória ter ficado reduzida com menos de sete (07) atletas no campo de jogo”.

Já sobre a briga, o árbitro escreve: “Após o gol de empate do Bahia, o Sr. Vinícius Góes Barbosa de Souza, nº 29, saiu para comemorar em frente à torcida do Vitória, provocando a mesma com gestos obscenos. Em seguida o goleiro do Esporte Clube Vitória, o Sr. Fernando Miguel Kaufmann, nº 01, foi até o mesmo tirar satisfação e o segurou pela camisa. Nesse momento vários jogadores do Esporte Clube Vitória e do Esporte Clube Bahia foram também em direção ao jogador Vinícius do Bahia dando início a um conflito generalizado incluindo jogadores do banco de reservas de ambas as equipes”.

O juiz da partida justifica a expulsão de Vinícius por “comemorar o gol da sua equipe em frente à equipe adversária fazendo gestos obscenos provocando a mesma”. O padrão seguido pelos árbitros recomenda o cartão amarelo nesse tipo de situação.

Para ler a súmula na íntegra, clique aqui.

Fonte: Correio

ESPORTE

REGULAMENTO DETERMINA TRIUNFO DO BAHIA POR 3×0

Primeiro Ba-Vi do ano é marcado por briga, socos e muita vergonha

Blog de Tavares/Foto: Reprodução

O regulamento geral de competições da CBF afirma, em seu artigo 56, que nenhuma partida poderá ser disputada com menos de sete atletas. E acrescenta, no inciso 3º, que “após o início da partida, se uma das equipes ficar reduzida a menos de sete (7) atletas, dando causa a essa situação, tal equipe perderá os pontos em disputa”.

O inciso 4º complementa: “O resultado da partida será mantido, na aplicação do § 3º, se, no momento do seu encerramento, a equipe adversária estiver vencendo a partida por um placar igual ou superior a três (3) gols de diferença; e se tal não ocorrer, o resultado considerado será de três a zero (3×0) para a equipe adversária”.

Reprodução CBF
Trecho do Regulamento Geral de Competições da CBF (Foto: Reprodução/CBF)

Apos o jogo, o técnico Guto Ferreira já falou como vencedor do clássico, embora em tom de lamento: “Infelizmente um triunfo do Bahia que não tem aquele gostinho porque dentro de campo não foi possível terminar da maneira que tinha que terminar. Mas aí não cabe a nós julgar ou tomar decisões por eles. Nós sempre honramos os torcedores, buscamos os resultados até o final”.

A Federação Bahiana de Futebol (FBF) ainda não apresentou a súmula da partida. O regulamento do Campeonato Baiano não aborda o tema, porém registra em seu artigo 1º, parágrafo único: “Todos os dispositivos da Legislação Desportiva aplicáveis ao Futebol Profissional no país e hierarquicamente superiores ao presente Regulamento fazem parte, necessária e obrigatoriamente, do conjunto de parâmetros legais aos quais o Campeonato se submete, dentre eles os Estatutos da FIFA, as Leis Federais 9.615/98 (Lei Pelé), 12.395/11 (Lei José Rocha) e 10.671/03 (Estatuto do Torcedor), o Estatuto da CBF, as Resoluções e Portarias (expedidas pela CBF), o Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), o Estatuto e RDI´s da FBF, e ainda o Regulamento Geral de Competições da CBF, edição 2018, no que couber”.

Fonte: Correio

ESPORTE

PRIMEIRO BA-VI DO ANO É MARCADO POR BRIGA, SOCOS E MUITA VERGONHA

Foi feio de ver e chocante até para quem tem intimidade com as arquibancadas há anos. O primeiro Ba-Vi de 2018 virou uma mancha na história de um dos maiores clássicos do país. Neste domingo (18), o jogo não acabou de forma natural. Com cinco expulsões no lado do Vitória (e nove no total), o árbitro foi forçado a cumprir o regulamento e dar fim à partida no Barradão.

O jogo corria dentro da normalidade, disputado e leal. Aos 33 minutos, o Vitória abriu o placar com Denilson, após rebote do goleiro Douglas. Ele agora é artilheiro isolado do Leão na temporada, com cinco gols.

Na volta para o intervalo, começou o que seria um dos piores Ba-Vis da história. Após cobrança de escanteio, a  bola quicou e bateu na mão do volante Uillian Correia na área. Pênalti que Vinícius cobrou e empatou. Ao comemorar, o meia tricolor repetiu sua habitual dancinha: colocou as mãos nos joelhos e, na sequência, fez duas vezes os gestos do “créu”.

 A cena foi feita em direção à torcida do Vitória. Indignado com a atitude, Fernando Miguel correu em direção ao jogador, o segurou pelo pescoço e bradou. Foi o suficiente para o campo de futebol virar um campo de guerra. Teve murro de Kanu, Yago e Denilson em Vinícius; soco de Rhayner em Edson; e Bryan, que foi atingido por Edson e nem viu de onde o murro veio.

Teve bate-boca, jogador sendo contido, policiamento entrando em campo para proteger a arbitragem. Na confusão, foram expulsos os rubro-negros Kanu, Rhayner e Denilson e os tricolores Vinícius, Lucas Fonseca, além de Rodrigo Becão e Edson, que estavam no banco. Fernando Miguel e Anderson, também na reserva, levaram cartão amarelo.

Após 15 minutos, a bola voltou a rolar. Mas, 12 minutos depois, Uillian Correia cometeu falta, levou o segundo cartão amarelo e também foi expulso, o que deixou o Leão com sete em campo.
Pouco depois, outra falta para o Bahia. Antes da cobrança, o zagueiro Bruno, que já tinha amarelo, chutou a bola para longe, forçando a expulsão e levando o árbitro Jailson Freitas a terminar a partida aos 34 minutos.

Ruim para 18.336 torcedores, que pagaram ingresso e viram mais briga do que futebol.

Fonte: Correio

Grêmio acerta com Hernane que deve se apresentar depois do carnaval em Porto Alegre

Nessa sexta-feira (9), a direção do Grêmio acertou os últimos detalges que restavam para o atacante Hernane Brocador, do Bahia, fechar com a equipe gaúcha. O anúncio oficial deve sair apenas após o carnaval, quando o jogador irá se apresentar e realizar exames médicos para assinar o contrato de um ano. A informação foi publicada pelo site globoesporte.com.

Aos 31 anos, Hernane irá rescindir o seu contrato com o Bahia de forma amigável. Sendo assim, o “Brocador” será o primeiro camisa 9 a ser contratado pelo Grêmio neste ano.

Após duas temporadas no tricolor, Hernane deixa o Bahia com 71 jogos e 31 gols.

SHARE

ESPORTE

ăn dặm kiểu NhậtResponsive WordPress Themenhà cấp 4 nông thônthời trang trẻ emgiày cao gótshop giày nữdownload wordpress pluginsmẫu biệt thự đẹpepichouseáo sơ mi nữhouse beautiful